Yamaha Fazer 250 ABS

Yamaha Fazer 250 ABS
Recomendação:
Satisfação Geral:
Dirigibilidade:
Visual:
Consumo:
Conforto:
Custo X Benefício:
Performance:
Leia as Avaliações Deixe sua Avaliações
Sobre a Yamaha Fazer 250 ABS

A Yamaha lançou a Fazer 250 ABS no Salão Duas Rodas de 2017, que aconteceu em São Paulo. A motocicleta chegou já no modelo 2018 e veio totalmente renovada em comparação a antiga geração Fazer, mantendo apenas o motor.

 

Yamaha Fazer 250 ABS: ficha técnica, consumo, fotos e vídeos

A principal novidade da Fazer 250 ABS está evidente já em seu nome. O modelo chegou ao mercado exibindo o inédito sistema de freios ABS. Desta forma, a Fazer 250 a partir de 2018 vem de fábrica com ABS nas duas rodas como item de série, não existindo mais a versão sem o sistema.

E apesar de manter a base de motorização anterior, a Fazer 250 ABS ganhou ajuste da injeção e melhoria na admissão de ar para o motor. Isso junto do novo escapamento deu ao modelo 0,6 cavalos a mais. Sua potência subiu para 21,5 cv - abastecida com etanol.

Lembrando que o motor é flex e abastecida com gasolina, a potência máxima da Fazer é de 21,3 cv - sempre aos 8.000 rpm, seja com gasolina ou etanol. O torque é de 2,1 kgf.m a 6.500 giros - em ambos os combustíveis. 

Outra novidade do modelo foi nos engates do câmbio, melhor escalonados, que continuaram sendo de 5 marchas. Um conjunto suficiente para um consumo entre cidade e estrada de 21 km/l no etanol e 31 km por litro na gasolina.

Outra grande mudança foi o chassi, que passou a ter o motor fazendo parte da estrutura. Nas suspensões, a moto tem na dianteira tubos internos mais largos – passando de 37mm de diâmetro para 41mm - e curso aumentado de 120 mm para 130 mm. Já na traseira, o amortecedor único, com curso de 120 mm, tem ajuste em sete níveis de compressão.

A Fazer 250 ABS também ganhou rodas de liga com 10 raios mais largas. Já os pneus são os Pirelli Sport Demon, na dianteira a medida é de 100/80-17, enquanto na traseira passou de 130/70-17 para 140/70-17. A moto também ganhou farol e lanterna traseira inteiramente em LED e painel totalmente digital.

 

Yamaha muda Fazer 250 para FZ25

No segundo semestre de 2021, a Yamaha apresentou a nova Fazer 250 já como modelo 2022. A moto teve como grande novidade o novo nome, passando a se chamar FZ25. No conjunto, a motocicleta recebeu também novo farol com projetor de LED.

A mudança de nomenclatura veio para alinhar o modelo de forma mais globalizada. Visto que desde a Fazer ABS 2018, o modelo tratava-se de um projeto tocado conjuntamente entre as equipes da marca no Brasil, Japão e Índia. E isso se refletia no design do modelo, que era alinhado já à linha FZ do mercado indiano.

 

Preço da Fazer 250 ABS

Por fim, a FZ25 2022 brasileira chegou ao mercado nas cores azul metálico (Racing Blue), vermelho metálico (Magma Red) e preto fosco (Matt Black). O preço sugerido para o modelo, sem novidades na mecânica ou eletrônica, era de R$ 18.990,00, sem contar despesas com frete ou seguro. Já em julho de 2023, seu valor sugerido era de R$ 21.490.

Ficha Técnica

Cilindrada: 249
Tipo de Motor: 4 tempos
Arrefecimento: Ar
Combustível: Gasolina / Etanol
Potência Máxima: 21,3 cv a 8.000 rpm
Torque Máximo: 2,1 kgf.m a 6.500 rpm
Transmissão: 5 velocidades
Injeção: Eletrônica
Suspensão dianteira: Garfo telescópico, curso 130 mm
Partida: Elétrica
Chassi: Aço
Suspensão traseira: Balança traseiro tipo Monocross, curso 44 mm
Peso (seco): 153
Comprimento: 2020
Largura: 770
Altura: 1070
Altura do Banco: 790
Distância entre Eixos: 1360
Pneu Dianteiro: 100/80 17 M/C 52S
Pneu Traseiro: 130/70 17 M/C 62S
Capacidade do tanque: 19
Balança: Convencional

Outras Versões

Fazer 250 ABS:   2020 / 2019 / 2018
mais opções

Todas as Avaliações da Yamaha Fazer 250 ABS

Recomendo
Classificação
Prós:
Moto com torque agradável, estabilidade excepcional tanto em alta, baixa ou mesmo em curvas. A suspensão mais rígida, tornou a pilotagem dessa moto muito mais esportiva e divertida, sem duvidas, a melhor da categoria dentre as populares. O banco partido, rabeta re-estilizada e configuração geral da moto, a torna unica, com um traço esportivo bem alinhado! Chama muita atenção, e quem não conhece, até confunde com uma média/alta cilindrada. Tudo isso, com toda a economia de uma 250 injetada (Blueflex), fazendo apróx. 30km/l andando de boa, sem torcer o cabo. Mecânica super confiável.
Contras:
Infelizmente, como nem tudo são rosas, a insatisfação maior é com o custo da manutenção da moto. Recentemente fiz a troca do filtro de ar (Manut. Preventiva) e fiquei surpreso com o valor astronômico de R$ 110,00 na concessionaria. Venho de uma YBR 125, que a mesma peça, custa em média R$ 10,00, e em comparação com a sua concorrente direta, Honda CB 250 (R$ 35,00 Filtro de Ar). Inclusive, buscando na internet observei mais peças que tem um preço fora da curva das demais motos de mesma categoria.

Nunca tive problemas com a moto.
Condições do Teste:
Tempo de uso:
Mais de um ano
Tipo de Uso:
Utilitário (Trabalho)
Terreno Testado:
Urbano
Quilometragem:
25000
Manutenção:
Dentro do esperado
Custo de Mantenção:
Alto
Satisfação Geral
Dirigibilidade
Visual
Consumo
Conforto
Custo X Benefício
Perfomance
Enviada em 26/08/2020
SIM
Esta análise foi útil para você?
14 pessoas gostaram
Recomendo
Classificação
Prós:
Ótima moto para uso urbano, consumo baixíssimo desde os 1000km corri muito com a moto e nunca baixava de 28km/l, anda bem na estrada, passa bem nos corredores, manutenção barata e fácil qualquer mecânico mexe, revisões também são baratas, pneus bons e duram bastante, painel digital e de fácil leitura, faz muita curva, pode deitar com ela sem medo
Contras:
Principal ponto negativo é que falta uma 6ª marcha na moto, bancos são duros principalmente para o garupa e suspensão dura também, na estrada pega muito vento, como é normal de qualquer naked, entrou no falso neutro entre a 2ª e 3ª marcha uma vez antes dos 1000 km o que resultou numa queda, mandei para a autorizada e voltou fina, mão de obra mais ajuste e manete de embreagem que quebrou saiu 250 reais
Condições do Teste:
Tempo de uso:
Menos de um ano
Tipo de Uso:
Meio de Transporte
Quilometragem:
4500
Manutenção:
Fácil de encontrar
Custo de Mantenção:
Baixo
Satisfação Geral
Dirigibilidade
Visual
Consumo
Conforto
Custo X Benefício
Perfomance
Enviada em 14/04/2021
SIM
Esta análise foi útil para você?
3 pessoas gostaram
Recomendo
Classificação
Prós:
Contras:
Condições do Teste:
Tempo de uso:
Menos de um ano
Tipo de Uso:
Meio de Transporte
Terreno Testado:
Estrada
Quilometragem:
2
Manutenção:
Dentro do esperado
Custo de Mantenção:
Baixo
Satisfação Geral
Dirigibilidade
Visual
Consumo
Conforto
Custo X Benefício
Perfomance
Avaliação de Italo Nogueira
Enviada em 18/07/2023
SIM
Esta análise foi útil para você?
0 pessoa gostou
mais opções

Outras motos Yamaha à venda

De R$ 21.000,00 a R$ 21.000,00 entre 32 ofertas
Yamaha Fazer 250 ABS
R$ 21.000,00
Yamaha Fazer 250 ABS
Yamaha Fazer 250 ABS
R$ 17.300,00
Yamaha Fazer 250 ABS
Yamaha Fazer 250 ABS
R$ 18.500,00
Yamaha Fazer 250 ABS
Yamaha Fazer 250 ABS
R$ 21.500,00
Yamaha Fazer 250 ABS
Yamaha Fazer 250 ABS
R$ 17.500,00
Yamaha Fazer 250 ABS

Guias de motos Yamaha

foto moto yamaha/factor-125i Yamaha Factor 125i
Yamaha Factor 125i
foto moto yamaha/xtz-250-lander-abs Yamaha XTZ 250 Lander ABS
Yamaha XTZ 250 Lander ABS
foto moto yamaha/crypton-100 Yamaha Crypton 100
Yamaha Crypton 100
foto moto yamaha/xtz-250-x Yamaha XTZ 250 X
Yamaha XTZ 250 X
foto moto yamaha/xt-600-e Yamaha XT 600 E
Yamaha XT 600 E

Notícias sobre motos da Yamaha

capa noticia Teste: Yamaha Fazer 250 ABS 2018
Teste: Yamaha Fazer 250 ABS 2018
Teste: Yamaha Fazer 250 ABS 2018
capa noticia Honda, Bajaj ou Yamaha? Veja moto mais vendida na Colômbia
Honda, Bajaj ou Yamaha? Veja moto mais vendida na Colômbia
Honda, Bajaj ou Yamaha? Veja moto mais vendida na Colômbia
capa noticia Humilhou? Honda Tornado 250 vendeu 10x mais que Yamaha
Humilhou? Honda Tornado 250 vendeu 10x mais que Yamaha
Humilhou? Honda Tornado 250 vendeu 10x mais que Yamaha
capa noticia Yamaha renova Tracer 900 para 2025, mas não como gostaríamos
Yamaha renova Tracer 900 para 2025, mas não como gostaríamos
Yamaha renova Tracer 900 para 2025, mas não como gostaríamos